Texto Bíblico

Antes da festa da Páscoa, sabendo Jesus que chegara a sua hora de passar deste mundo para o Pai, Ele, que amara os seus que estavam no mundo, amou-os até ao fim. No decorrer da ceia, Jesus levantou-Se da mesa, tirou o manto e tomou uma toalha, que pôs à cintura. Depois, deitou água numa bacia e começou a lavar os pés aos discípulos e a enxugá-los com a toalha que pusera à cintura.

Quando chegou a Simão Pedro, este disse-Lhe:

«Senhor, Tu vais lavar-me os pés?».

Jesus respondeu:

«O que estou a fazer, não o podes entender agora, mas compreendê-lo-ás mais tarde».

Pedro insistiu:

 «Nunca consentirei que me laves os pés».

Jesus respondeu-lhe:

«Se não tos lavar, não terás parte comigo».

Simão Pedro replicou:

«Senhor, então não somente os pés, mas também as mãos e a cabeça».

Jesus respondeu-lhe:

«Aquele que já tomou banho está limpo e não precisa de lavar senão os pés. Vós estais limpos, mas não todos».

Jesus bem sabia quem O havia de entregar. Foi por isso que acrescentou: «Nem todos estais limpos». Depois de lhes lavar os pés, Jesus tomou o manto e pôs-Se de novo à mesa. Então disse-lhes:

«Compreendeis o que vos fiz? Vós chamais-Me Mestre e Senhor, e dizeis bem, porque o sou. Se Eu, que sou Mestre e Senhor, vos lavei os pés, também vós deveis lavar os pés uns aos outros. Dei-vos o exemplo, para que, assim como Eu fiz, vós façais também».

A seguir, Jesus fez uma oração, dividiu um pão em pedaços e deu-os aos discípulos. Depois disse-lhes:

«Quando comerdes este pão, lembrem-se do meu corpo, que será entregue por vós.»

Depois, Jesus fez outra oração, pegou num copo de vinho e deu-o aos discípulos. E disse:

«Quando beberdes este vinho, lembrem-se do meu sangue, que eu vou dar para que o Pai perdoe todos os pecados. Façam isto em memória de mim.»

 

No tempo de Jesus as sandálias eram o principal tipo de calçado? Mas também havia pessoas que não tinham dinheiro para comprar sandálias e, por isso, andavam descalças.

Quando alguém recebia um hóspede em casa, oferecia-lhe uma bacia com água e um servo para lhe lavar os pés. As pessoas lavavam os pés quando entravam em alguma casa, porque tinham os pés sujos e fatigados. As sandálias não protegiam bem os pés e aqueles que andavam descalços não tinham proteção nenhuma.

Lavar os pés a alguém, no tempo de Jesus, era trabalho de um escravo.
Jesus lavou os pés aos seus discípulos. Jesus fez trabalho de um escravo.

 

 

 

 

 

A última ceia é o nome dado à refeição que  Jesus realizou com os seus discípulos em Jerusalém antes de sua crucificação. Ela é a base de todos os evangelhos para a instituição da Eucaristia, também conhecida como "Comunhão".

Para os judeus, o pão e o vinho já eram elementos essenciais para uma ceia. Mas com Jesus ganhou um novo significado. O vinho simbolicamente representa o sangue de Jesus, e o pão, o corpo. E é por essa razão que até hoje tomamos a ceia todos os domingos. Para fazermos memoria de Jesus.

Somos convidados a fazer memória daquela noite em que o nosso Mestre e Salvador, tendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os até ao fim. Foi então que nosso Senhor Jesus, celebrando com os Seus discípulos o rito da Páscoa da antiga aliança, instituiu o memorial da nova Páscoa como sacrifício de aliança eterna. Fê-lo quando lhes deu a comer como pão o Seu Corpo entregue e a beber o cálice do Seu sangue derramado, confiando-lhes o encargo de perpetuar em Sua memória o que Ele mesmo então fazia.

Com a quarentena que vivemos, estamos impedidos de comungar o corpo de Jesus de uma forma física, ou seja, de comungar a hóstia na Eucaristia. De facto, não há melhor forma de fazermos memória de Jesus senão esta, a de o podermos comer e saborear de uma forma física. Mas há uma outra solução, a chamada comunhão espiritual. Queres fazê-la? Posso ajudar-te! Porque não o fazes com as pessoas que estão contigo ai em casa, em vez de o fazeres sozinho(a)? Aceitas o desafio? Se sim, segue os seguintes passos:

  • Colocar uma música calma
    • Tens aqui uma sugestão:
    • Volta a ler o texto do Evangelho acima referenciado:
      • Ler com calma.
      • Tenta saborear o significado de cada palavra.
      • Tenta imaginar dentro do teu pensamento a cena da última ceia de Jesus com os discípulos. As imagens podem ajudar.
    • Agora que leste o texto tenta imaginar a cena dentro do teu coração.
      • Fecha os olhos e volta a imaginar.
        • Imagina a última Ceia de Jesus.
          • Imagina que também tu estás na mesma mesa de Jesus com os seus discípulos.
          • Imagina Jesus a dizer as palavras: «Tomai, todos, e comei: isto é o meu Corpo que será entregue por vós
          • Imagina Jesus a dar-te para a mão um pedaço de pão que é o Seu Corpo.
          • Imagina-te a comer esse pedaço de pão ao lado de Jesus.
          • Imagina agora Jesus a dizer estas palavras: «Tomai, todos, e bebei: este é o cálice do meu Sangue, o Sangue da nova e eterna aliança, que será derramado por vós e por todos, para remissão dos pecados. Fazei isto em memória de Mim»
          • Imagina Jesus a dar-te um pouco do vinho que agora é o Seu Sangue.
          • Imagina-te a beber e a saborear esse vinho.
        • Agora possuis o Corpo e o Sangue de Jesus de uma forma espiritual.
          • Agora tens Jesus contigo dessa forma. Acabaste de comungar Jesus.
        • Faz agora a seguinte oração:

Oh meu Jesus, eu creio que estás presente no Santíssimo Sacramento.

Amo-Vos sobre todas as coisas e minha alma suspira por Vós.

Mas como não posso receber-Vos agora, de maneira Sacramental, vinde ao menos espiritualmente ao meu coração.

Abraço-me convosco, uno-me a vós inteiramente.

Não permitais que eu me separe de Vós.

Oh Jesus, sumo bem e doce amor meu, tocai e inflamai o meu coração, a fim de que esteja abrasado em Vosso amor para sempre. Ámen.

A Eucaristia é o Sacramento daquele amor enorme com que Cristo Jesus, que era de con­dição divina, se dignou baixar até ao ponto de se fazer nosso servo. Obedecendo até à morte e morte de Cruz, lavou-nos os pés, num humilde serviço, e salvou-nos.

Assim como Jesus se baixou para nos lavar os pés, porque não o fazes tu agora?

Porque não te atreves a baixar-te nesta quarentena diante dos teus pais, ou outros familiares que tenhas em casa, para lhe lavar os pés? Não o faças só porque sim, mas porque o fazes como prova máxima de amor. O amor que sentes por eles. E não te esqueças…há gestos que valem mais que mim palavras. Este gesto do lava-pés, sendo um gesto de rebaixamento, é uma prova de amor de ti pelos teus que estão ai em casa. Assim com um dia eles se baixaram para te lavar os pés e o corpo quando eras mais pequenino(a), agora és tu a lavar-lhes os pés. Fá-lo por gratidão por eles terem cuidado de ti. Fá-lo por gratidão por te terem trazido ao mundo. Fá-lo porque os amas.

  • Se quiseres aceitar este desafio, vais precisar de:
    • Uma bacia;
    • Um jarro com água (se possível água morna);
    • Uma toalha seca para cada pessoa a quem lavas os pés.
  • Como o podes fazer? A imagem pode ajudar.
    • Colocas o pé da pessoa sob a bacia;
    • Derramas um pouco da água do jarro sobre o pé;
    • Limpas o pé com a toalha;
    • Por fim, se quiseres, podes dar um beijo no peito do pé da pessoa.
  • Como vez…é simples.

 

 

 

 

 

 

 

Sexta-feira Santa

Catequese Paroquial de Valongo

Rua Sousa Paupério, nº213

Apartado 170

4440-909 Valongo

Email: valongoparoquia@gmail.com

Contacto: 224 210 822; 925415520